Animal de Poder - Xamanismo

Os animais são vistos como arquétipos, símbolos de energias que existem e que podemos encontrar e manifestar dentro de nós.A sabedoria existente em um animal específico, não está necessariamente ligada com sua aparência ou com os pré-conceitos e crenças criados a respeito do mesmo pelo homem.Cada pessoa tem seu “animal de poder” ou “totem”, que corresponde às características que aquela pessoa necessita desenvolver, aprender e manifestar em si em determinado momento de sua vida. O animal de poder é requisitado em todos os trabalhos xamânicos.O animal de poder é que escolhe a pessoa e não o contrário. É importante não deixar que o ego interfira no seu processo de encontro com o animal de poder. Muitas vezes a pessoa deseja que seu animal de poder seja o mais bonito ou mais forte em sua opinião, e esses desejos do ego acabam atrapalhando a apresentação do animal que ela realmente necessita.É importante lembrar que nenhum animal é melhor ou pior que outro.Uma vez que se descobre o animal de poder, devemos estabelecer um relacionamento com o mesmo. Deve-se invocá-lo para realizar suas tarefas, visualiza-lo freqüentemente perto e dentro de você, e buscar aprender a desenvolver e manifestar suas características.* Lembrar que ao invocar o animal de poder, não invocamos algo que vem de fora, e sim aquele animal dentro de nós.Apesar de todos termos um totem específico, outros animais podem se apresentar para determinada pessoa, dependendo do trabalho que a mesma está realizando.É muito importante estarmos atentos aos sinais e mensagens que o arquétipo do animal está nos passando. Eles podem aparecer em sonhos, jornadas, no seu dia a dia, na mente, etc...Também é importante estarmos atentos para a forma que a animal se mostra: tamanho, estado de espírito, cor, saúde, olhar , movimento, etc... Para aprofundarmos nas características de um animal e compreendermos a completude do que ele tem para nos dizer, é interessante estudarmos o anima: seu habitat, hábitos, o que come, medos, presas, sons que manifesta, etc...

Animais Sagrados

“Se você falar com os animais, eles falarão com você. E assim, vocês conhecerão um ao outro. Se você não falar com eles, não os conhecerá......E aquilo que você não conhece, você teme.... E aquilo que se teme, se destrói.”[Anônimo] Em todas as tradiçoes xamânicas os animais são vistos como arquétipos, símbolos de energias que existem e que podemos encontrar e manifestar dentro de nós. E como arquétipos energéticos, cada pessoa tem seu "Animal de Poder", “Animal Negro”, “Animal Dourado” e seu “Animal Alado”, que correspondem às características que aquela pessoa necessita desenvolver, aprender e manifestar em si, em determinado momento de sua vida. A sabedoria existente em um animal específico, não está necessariamente ligada com sua aparência ou com os pré-conceitos e crenças criados a respeito do mesmo pelo homem, e sim pelo seu poder natural.

 

ANIMAL DE PODER Todos nós possuímos apenas um. No contexto de cura do Grande Espírito ele representa nosso ego e características da nossa personalidade. As personas (máscaras) que usamos, nossas habilidades conhecidas e aquelas a que ainda não tivemos acesso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANIMAL NEGRO Significa “o nosso lado negro”, a única força existente em nós que consegue combater a força da magia negra. Este animal recebe e compartilha esta força da Mãe-Terra. Representa nossa sombra, nosso lado escuro, que ao ser iluminado pela luz do conhecimento nos remete a transformação. Todos nós possuímos um lado negro e um lado de luz. Quando negamos essa energia existente em nós humanos, não permitimos o nosso crescimento e as soluções de todos os nossos problemas.

 

ANIMAL DOURADO

Representa nossa cura interna. A luz dourada da sabedoria. Significa todos os nossos conhecimentos adquiridos em todas as vidas. É o elo de proteção do nosso eu com o Grande Espírito.

 

ANIMAL ALADO

Nosso animal espiritual. Ele traz a visão transcendente da situação e o poder para resolvê-la. Nos ajudando a ir além de nossa visão pessoal, a encontrar as soluções através dos arquétipos, forças sagradas e divinas. Tanto o Animal de Poder, como o Animal Negro, Dourado ou Alado, é que escolhe a pessoa e não o contrário. Através de uma jornada xamânica a toques de tambor o animal se apresenta para a pessoa. É importante não deixar que o ego interfira no seu processo de encontro com o Animal Sagrado. Muitas vezes a pessoa deseja que seu animal seja o mais bonito ou mais forte em sua opinião, e esses desejos do ego acabam atrapalhando a apresentação do animal que ela realmente necessita. É importante lembrar que nenhum animal é melhor ou pior que outro. Uma vez que descobrimos nossos Animais Sagrados, devemos estabelecer um relacionamento com os mesmos. Devemos invocá-los, ao realizar nossas tarefas do dia a dia, visualizá-los freqüentemente perto e dentro de nós, e buscar aprender a desenvolver e manifestar suas características. Lembrando sempre que ao invocar o Animal Sagrado, seja o de Poder, Negro, Dourado ou Alado, não invocamos algo que vem de fora, e sim a energia animal que está dentro de nós. Outro motivo de confusão no meio xamânico é quanto ao termo “Totem”. Conforme trilhamos o Sagrado Caminho do Xamanismo, aos poucos, vamos construindo nosso Totem Sagrado, que corresponde na verdade, à unificação dos Animais Sagrados, dos Animais Guardiães das Quatro Direções e os Animais dos Clãs, que vão se associando ao nosso Eu Xamã e formando assim, nossa Identidade Xamânica. Apenas um xamã experiente e com vários anos de caminhada pode afirmar que possui um Totem desenvolvido. Mesmo após desenvolvermos um Totem Sagrado, outros animais ainda podem se apresentar para determinada pessoa, dependendo do trabalho que a mesma está realizando ou vai realizar. Estes animais são conhecidos como “Animais Auxiliares”. É muito importante estarmos atentos aos sinais e mensagens que o arquétipo do animal está nos passando. Eles podem aparecer em sonhos, jornadas, no dia a dia, na mente, através de um filme, desenhos, pinturas, ou através de outros meios. E se quisermos realmente compreender as características de um determinado animal, devemos estudá-lo, para entender o que ele tem para nos passar. Estudar seu habitat, hábitos, o que come, medos, presas, sons que manifestam e outros detalhes, será a oportunidade de aplicarmos seus ensinamentos em nossas vidas.

 

GUEPARDO O Guepardo, também conhecido como Chita, é o mamífero mais rápido do mundo, podendo alcançar cerca de cento e dez quilômetros por hora. O Guepardo é um felino solitário, possui pernas longas e é muito flexível. Sua presa favorita é a gazela de Thomson. Como Animal de Poder o Guepardo nos remete a vontade de conquista, com rapidez e eficácia! Xamãs Guepardo são hábeis e possuem pensamentos rápidos, porém, tendem a se isolar, não para se afastar de seus compromissos de vida, aliás, são muito comprometidos por sinal, mas para tornar-se seu próprio analista, para observar sua trajetória de vida e se preparar para o próximo combate, onde a estratégia e rapidez serão suas principais táticas.

 

CORUJA A Coruja é um dos passáros mais controversos, que evoca uma série de associaçoes que vão desde morte e medo até sabedoria, proteção e vitória. Muitas tradições xamânicas vêem na Coruja o símbolo da morte. No entanto, ela nos fala de mudanças e transformações e nos ajuda a superar o medo da transformação que chamamos morte. A Coruja é uma silenciosa caçadora noturna, que percorre a mais densa floresta. Embora mais conhecida por sua aguçada visão noturna, ela enxerga muito bem à luz do dia. No Xamanismo Ancestral existe o Clã da Coruja, que rege o elemento Ar. A Coruja é a passagem para o desconhecido. Esta ligada à verdadeira alquimia, que consiste em pegar o material bruto de que somos feitos e nos transformar em ouro alquímico - a pedra filosofal, a iluminação.

 

LAGARTIXA A Lagartixa pertende à familia dos lagartos. No xamanismo representa otimismo, adaptabilidade, regeneração, sonhos, renovação e transformação. As Lagartixas podem subir paredes - inclusive de vidro - e até andar sobre tetos, graças a uma força intermolecular que elas possuem, estabelecidas pelas cerdas existentes em suas patas. Outra curiodidade é que algumas espécies apresentam capacidade de camuflagem similar à do camaleão. Em outras espécies, as Lagartixas comunicam-se entre si através de ruídos - o que não é muito comum entre lagartos. Interessante que em alguns países a Lagartixa é tratada como animais de estimação, o que no Brasil não é muito comum. Como Animal de Poder a Lagartixa nos remete à capacidade de adaptabilidade, ou seja, o xamã que se adapta a qualquer lugar ou situação, sem falar da questão relacionada à regeneração, pois a Lagartixa regenera sua cauda de maneira surpreendente, caso ela a perca. Neste caso, simboliza o xamã que combate as influências de espíritos libertinos, e sempre após um combate espiritual o xamã possui a capacidade de recuperar sua energia vital.

ARANHA A Aranha é um Animal de Poder muito reverenciado por várias tradições xamânicas do mundo inteiro como tecelã do Universo. Apesar de existirem uma série de espécies de Aranhas, formatos, tamanhos, cores e etc, em geral, ela nos ensina a persistir na realidade presente e, ao mesmo tempo, compreender nossa relação individual com a totalidade da criação – sua teia é uma metáfora dos pensamentos que expressam nossa paisagem interior. Para muitos xamãs, a Aranha é um dos mais antigos dos seres. Para algumas tradições, o nosso mundo surgiu em consequência da teia que ela teceu no Princípio. Para algumas tradições africanas ela representa um inseto e como tal um animal intruso. Já no Xamanismo Ancestral, a Aranha é associada à Deusa Maya, ou seja, à ilusão da realidade tridimensional.

 

PELICANO O Pelicano como Animal de Poder simboliza um tipo de alimento e proteção para a nossa criança interior. O Pelicano é uma das poucas criaturas da Terra que quase não sofreram alterações desde os tempos pré-históricos. Ele é uma ave aquática que, segundo uma lenda xamânica, amava tanto os filhotes que os alimentava com seu próprio sangue, abrindo o peito com o bico para esse fim. Essa é uma das mais conhecidas alegorias de Cristo (...) A fêmea do Pelicano protege os filhotes com determinação implacável, sabendo que só ela os protegerá. Por isso, é feroz, firme e irredutível. Proteger os filhotes é sua missão e ela é motivada por um saber puramente instintivo, maternal e primordial. Mesmo quando tudo está perfeito, ela tem que avançar mais um passo.

 

BEIJA-FLOR O Beija-flor é uma das raras aves que exterioriza muita delicadeza e suavidade.No xamanismo o Beija-flor simboliza cura, amor romântico, claridade, graça e proteção espiritual.O xamã que tem no Beija-flor seu Animal de Poder é uma pessoa que busca sem cessar o contato com sua energia interior, com a sua magia e que busca muito a contemplação e a unicidade com o meio-ambiente. O xamã Beija-flor é um mensageiro do Grande Espírito, que veio para trazer a mensagem de cura para a humanidade, para curar suas doenças emocionais. Este Animal de Poder nos dá claridade para enfrentar os obstáculos da vida com muita serenidade e autoaceitação.O Beija-flor nos ensina a suavidade do viver. Viver contemplando tudo que há, todas as pessoas, a humanidade e principalmente nos remete a buscar nosso estado de graça universal.A proteção espiritual também é um aliado muito forte deste Animal de Poder, já que ele atua como arquétipo do amor as energias e fluidos que ele capta sempre são energias de altíssima frequência vibratória. Assim sendo, ao meditarmos no Beija-flor unimo-nos à egregora do Amor Incondicional, que sustenta todo este Universo – manifesto e imanifesto.

URSO O Urso é um dos mais antigos seres totêmicos de que se tem registro, nos oferencendo alimento, força, proteção e sabedoria. Muitas culturas indígenas possuem mitos e costumes que demonstram grande respeito pelo Urso. Antigas lendas xamânicas falam de um tempo em que as pessoas dividiam as cavernas com seus parentes Ursos.No Xamanismo Ancestral a Ursa é a guardiã do chakra do coração da Mãe-Terra. E por isso, o Urso assume o arquétipo do animal protetor no Xamanismo.O Urso como Animal de Poder nos leva a sentir verdadeiramente em cada célula de nosso corpo a batida do coração da Mãe-Terra, e uma vez que sentimos esta batida nunca mais esqueceremos este ritmo que nos liga a todas as coisas. O corpo emocional, ligado ao chakra umbelical é muitíssimo beneficiado pelo reconhecimento do seu elo com essa pulsação.GATOMuitas tradições xamânicas não trabalham o Gato como Animal de Poder, exatamente por este ser um animal já domesticado e muito ter perdido sua vida e habitat selvagem.O Xamanismo Ancestral não descarta a possibilidade de nenhum animal tornar-se um Animal de Poder. Assim, para os xamãs ancestrais, o Gato doméstico é o animal que mais exterioriza o arquétipo do sensitivo. Pois os Gatos em geral são extremamente sensitivos.Os Gatos são independentes e não podem ser controlados, o que lhes dá um ar de mistério e alimenta sua reputação de amigos das bruxas. Certas criaturas, geralmente animais, são ajudantes e companheiras de quem trabalha com magia: é o caso dos Gatos. Ao contrário de outros animais, os Gatos não tem medo de seres espirituais invisíveis e têm uma excelente comunicação telepática com os seres humanos.

BÚFALO O Búfalo é muito diferente do touro. O touro está ligado à força física. O Búfalo resgata não apenas a questão do limite físico mas também de reverência e contato com seus ancestrais. Toda questão de limite e respeito está ligado inconscientemente aos nossos ancestrais.O Búfalo é o Animal de Poder do xamã que busca um caminho de harmonia no Grande Mistério. Os ensinamentos deste Animal de Poder tratam de questões ligadas à reverência e ao sagrado. Ele traz também um senso de força feminina, ligada à força da Mãe-Terra. A questão do sagrado relacionado a este animal está ligado à oferendas, porém, a oferendas de ensinamentos, ou seja, este é o Animal de Poder de pessoas que doam seus ensinamentos à comunidade e às pessoas à sua volta.

CHACAL O Chacal é o senhor do submundo. Ele é comparado ao Deus egípcio Anúbis. Anúbis é o guardião dos mortos. A reverência ao Chacal, por algumas tradições se dá, pelo fato dele sempre conseguir invadir tumbas e túmulos sagrados, para se alimentar da carne dos cadáveres, mesmo estes possuindo uma alta segurança.É um animal muito esperto, cauteloso, rápido e estrategista. Ele é o ancestral direto do lobo, porém, diferente na simbologia. O Chacal vive em grupo apenas quando elege uma parceira, e esta dá à luz filhotes. Geralmente é um animal muito solitário e procura suas presas geralmente à noite. Ele é conhecido nas florestas pelo seu uivo, que marca o despertar do sol, simbolizando para muitas tradições, que as sombras da escuridão noturnas já se foram.Este é o Animal de Poder de muitos xamãs feiticeiros. Ele nos proporciona a chance de adentramos a essência da magia, aplicando-a para transformar as feridas em antídotos capazes de curar a alma do sofrimento da morte.

CACHORRO Normalmente, os animais de poder são selvagens, e não domesticados. Pessoas podem ter Cachorros ou gatos como totem, porém estes poderes se manifestarão de uma forma mais suave. Devem então procurar relacionar o Cachorro com qualquer outro da família canina, como o lobo, coiote ou o chacal. O mesmo ocorre com os gatos, relacionados com a família felina.Pessoas que possuem fortes ligações com os cães em geral são pessoas que acabam incorporando as características e qualidades deste animal, tais como: fidelidade, proteção, carinho, amor, companheirismo e territorialismo.

SERPENTE A Serpente é a personificação de uma força, de uma inteligência, sendo a Naja a mais letal entre as Serpentes.A muito tempo este Animal de Poder representa o emblema da força energética e da sabedoria de diversas escolas de misticismo e ocultismo do passado e da atualidade. Aperece na coroa dos faraós egípcios e demais impérios do passado, representa o Eu Inferior Oculto, que é a mente subconsciente ou inconsciente.No Xamanismo Ancestral este Animal de Poder é um grande aliado de cura, ela é poderosa e indispensável. Ela tem a capacidade de devorar doenças comendo tumores e outros patógenos virulentos, pois o organismo da Serpente não é vulnerável às mesmas doenças que os nossos. À medida que for desenvolvendo sua relação com essa nova aliada, pergunte a ela quando o uso desse poder é indicado. É importante observar que o veneno da Serpente, embora sempre tóxico, é útil à produção de vários tipos de remédios.O xamã Serpente deve sempre procurar presentear este seu Animal de Poder, pois estes presentes sempre serão oportunidades do xamã lhe presentear com coisas que já não lhe servem mais, alguma coisa que não queira, como uma doença, comportamentos indesejados ou hábitos e pensamentos negativos. Antes, certifique-se de ter escolhido algo que a Serpente esteja disposta a devorar naquele momento.No R’XA (Reiki Xamânico Ancestral) a Serpente está associada ao chakra básico e à kundalini.A kundalini tem um simbolismo voltado para a Serpente exatamente por ela ser representada como uma Serpente adormecida, enrolada na base da espinha (coluna vertebral) – desperta. Como resultado, abre-se o acesso à corrente espinhal de energia, permitindo que se tenha contato com a energia da força vital, que tudo cura. Seu coração entra em contato com seu Eu Superior e a serpente cria um canal direto entre seu coração, no Eu Inferior, com sua Consciência Cósmica.E saiba que a Serpente é o centro de nossa força vital, assim como o rio Ganges é a corrente espinhal da Mãe-Terra.

COBRA As Cobras diferem das serpentes. Ela simboliza a cura física, mental, emocional e espiritual.São raras as pessoas pertencentes ao totem da Cobra. A iniciação no totem da Cobra pressupõe que as pessoas tenham vivido e experimentado as múltiplas mordidas da Cobra, e que tenham se tornado capazes de transmutar todos os venenos, quer sejam de natureza física, mental, emocional ou espiritual. O poder de cura da Cobra representa o poder da criação, porque engloba a sensualidade, a energia psíquica, a alquimia, a reprodução e a ascensão (ou imortalidade).O ciclo de transmutação, que consiste em viver-morrer-renascer, é simbolizado pela troca de pele da Cobra. A energia da Cobra é a energia da totalidade da consciência cósmica e da capacidade de viver todas as experiências de peito aberto, sem oferecer resistência. É a consciência de que todos os elementos da criação possuem o mesmo valor. Assim, se a pessoa estiver centrada, no estado de espírito correto, saberá que aquilo que é normalmente encarado como veneno pode ser comido, digerido, assimilado e transmutado. O veneno sempre pode ser transformado em energias positivas.Thot, o pai da Alquimia, criou o símbolo de duas cobras enroladas em uma espada para representar o processo de cura. Cada organismo vivo possui uma porção masculina e uma porção feminina. O processo de fusão da energia masculina com a energia feminina gera uma energia divina, a energia da criação e da transmutação. Quando aceitamos a idéia de que possuímos estas duas energias em nós, podemos criar um espaço para que elas se mesclem e convivam em harmonia.O totem da Cobra nos ensina que somos seres universais. Se conseguirmos aceitar e harmonizar todos os diferentes aspectos de nossa vida, poderemos alcançar a transmutação do nosso ser por intermédio da energia do fogo. Essa energia do fogo, atuando no plano material, gera paixão, desejo, procriação e vitalidade física. No plano emocional gera sonhos, ambição, criatividade e coragem. No plano mental gera inteligência, poder, carisma e capacidade de liderança. Quando a energia do fogo atinge o plano espiritual, ela se transforma em sabedoria, compreensão, sentimento de integração com o Todo e de conexão com o Grande Espírito que nos criou.

 

QUALIDADES DOS ANIMAIS

 AVES

 Águia – velocidade, força, coragem, sabedoria, visão aguçada, iluminação do espírito, cura, criação, por ser o animal que mais alto voa, acredita-se que seja o que chega mais próximo do Grande Espírito, por isso traz a energia diretamente Dele.

 Albatroz – resistência, habilidade para permanecer em situações emocionais por longos períodos de tempo, desajeitado, eficiência e fibra.

 Andorinha – proteção, calor do lar, perspectiva apropriada.

 Beija-flor – alegria, brincadeira, felicidade, amor e néctar da vida.

 Canário – poder curativo do som e da voz, sentividade.

 Avestruz – verdade espiritual, correndo mais que os adversários, vivendo em comunidade, tornando-se enraizado.

 Cardeal – renovador da vitalidade através do reconhecimento da importância interior.

 Cegonha – longevidade, criação a partir do focar, agressividade.

 Cisne – despertando a verdadeira beleza e do poder do Self, compreendendo os símbolos dos sonhos, libertando a graciosidade pessoal, traz a energia de Maria. Codorna – vivendo perto da terra, habilidade para misturar-se ao cenário, achando soluções calmas quando em situações de risco, coragem para enfrentar sofrimentos. Corvo – magia, transportador das almas da escuridão à luz, coragem e conforto na escuridão, direção para entender mais profundamente a sombra pessoal, transmutação. Condor e Abutre – morte e renascimento, profecia, conhecimento relativo à morte de um amado, nova visão, purificação. Coruja – poder feminino, o mistério da magia, movimento silencioso e rápido, vendo através das mascaras, visão aguda, mensageiro de segredos e presságios, sabedoria do silêncio, visão noturna. Cuco – mensageiro de um novo destino. Falcão – visão clara, observador, memória remota, mensagem do espírito, coragem, sabedoria, iluminação, visão ampliada do mundo, criatividade, verdade, experiência, uso sábio das oportunidades, superando problemas. Faisão – fertilidade familiar, sexualidade. Flamingo – habilidade para obter lições da alma, entendendo a linguagem da cor, propósito da alma, vivendo em grupo, equilíbrio. Galinha – ouvindo a voz interior, fertilidade e sacrifício. Galo – proteção, sexualidade, poder da voz, capacidade de observar e ressurreição. Ganso – o chamado interior, contador de historias, fertilidade, fidelidade, símbolo do infinito, começando a questionar, entendendo o novo através de viagens, inspiração, felicidade. Garça – longevidade, criação a partir do focar, confiança, limites, exploração, auto-estima, equilibrando suas múltiplas tarefas, dignidade. Gavião – o mensageiro, poder da visão, guardião. Gralha – magia, segredo da magia da criação, criatividade e capacidade de mudar de forma, lei. Martim Pescador – novo alento, prosperidade, amor, boa sorte e luminosidade. Papa-léguas – velocidade, compreensão das mudanças rápidas, agilidade e agilidade mental. Papagaio – cura pelas cores, sarcasmo, vida conjugal, direção e sabedoria para pensar antes de falar. Pardal – desejo, fertilidade, novo amor manifestando-se na vida, o despertar e o triunfo das nobrezas comuns. Pássaro azul – modéstia, auto-confiança não assumida, felicidade, contentamento. Pássaro preto – presságios, misticismo, cor do medo e da promessa, compreendendo a energia da mãe natureza. Pato – conforto emocional, energia da água, vendo claramente as emoções, proteção. Pavão – beleza, imortalidade, auto-confiança, ressurgindo das cinzas, ressurreição e visão com sabedoria. Pelicano – uso sábio da abundância, controle do ego, altruísmo, habilidade para flutuar nas emoções. Peru – doação, colheita, partilhada, entende o significado de submeter-se, honrando a Mãe Terra. Pica-pau – conexão com a terra, profecia, novo ritmo de crescimento, cava até a verdade escondida ser exposta ou o mal ser retirado, resistência, poder do ritmo e discriminação. Pingüim – paternidade, compreensão da energia da fêmea dentro do macho, sonhos lúcidos, viagem astral, paciência, resistência. Pomba – esperança, energia feminina da paz, maternidade, profecia, entendendo a gentileza, mensageiro do espírito. Sabiá / Robin – anunciador do novo, esperança. Urubu – purificação, vigilância constante, morte e renascimento, nova visão, limpeza e cura. MAMÍFEROS  Alce – resistência, poder, fibra, força, honrando a sua feminilidade ou masculinidade, habilidade para realizar suas tarefas, auto-estima. Antílope – entendendo o sentido da morte, habilidade de sobrevivência frente a inimigos mais fortes, habilidade para saltar os obstáculos, gentileza, conexão com a terra, velocidade e adaptabilidade. Babuíno – defesa da família, ligação com o Deus da Sabedoria Toth, ligação com o deus do nilo Hapi. Baleia – criação, guardiã das memórias, poder do som, habilidades psíquicas e telepáticas, beleza de movimento, despertar das profundezas interiores. Búfalo – abundancia, oração, coragem e conhecimento. Burro – sabedoria e humildade, teimosia, habilidade para tomar decisões, saber dizer não, ignorando opiniões de outros. Cabra – abundância, assertividade no caminhar, independência, buscando novas alturas. Cachorro – lealdade, amor, proteção, habilidade para farejar dificuldades, achando calor em situações frias, silêncio compreensivo, achando a verdade, uso correto de intuição. Cachorro selvagem – conexão com a lua cheia, versatilidade de habitar, habilidade para ver com pouca luz, fertilidade. Camelo – aprendendo a entrar nas areias inconstantes do tempo, entendendo a imensidão do espaço, habilidade para economizar para uso futuro, entendendo o valor da água como força de vida, transformando os fardos que levamos. Canguru – saltando longe de situações ruins, criando um ambiente de casa seguro, habilidade para se adaptar a situações novas, proteção juvenil. Caribu – conexão com sua casa mesmo quando em grandes viagens, poder de vagar, proteção enquanto viajando, habilidades sociais, mantendo seu poder enquanto em grupo, habilidade para permanecer muito tempo na escuridão. Carneiro – mantendo o equilíbrio em situações perigosas, confiança em suas habilidades, fertilidade, recomeço, abundância. Cavalo – poder, fibra, resistência, fidelidade, liberdade, viagem, adverte de possíveis perigos, guiando na superação de obstáculos, acelera o crescimento pessoal. Castor – construindo os sonhos, persistência. Chacal – viagem astral, acessa vidas passadas, entendendo o uso das oportunidades, habilidade para ver na escuridão. Chita – velocidade, autoestima, acelerando o tempo, sutileza de visão. Coala – habilidade para escalar os obstáculos, reconhecendo o valor do movimento lento, habilidade para permanecer acima das rixas. Coelho – malícia, paradoxo e contradição, vivendo pela própria graciosidade, lidando com o conhecimento secreto, intuição, pensamento rápido, movendo-se pelo medo, fertilidade e nova vida. Coiote – inteligência, sabedoria, brincadeira, trapaça, inocência. Doninha – cautela, esperteza, ingenuidade, vingança, observação aguda, habilidade para ver razões escondidas, poder de observação. Elefante – força, realeza, sabedoria ancestral, remoção de obstáculos. Esquilo – armazenando para o futuro, equilibrando o dar e o receber, descansando entre tempos improdutivos, advertência, descoberta, atividade, precaução, reunião. Foca – proteção durante mudanças, sonhos lúcidos, protegendo de perigos, movendo-se nas emoções, criatividade. Gambá – reputação, sensualidade, respeito própria, coragem, força de vontade, auto-confiança. Gato doméstico – independência, vendo o invisível, mistério, magia. Gato do mato – silêncio e segredos. Girafa – perspicácia, habilidade para alcançar novas alturas, comunicação, ver alem dos medos. Golfinho – sabedoria, equilíbrio, harmonia, habilidade de comunicação, liberdade, confiança, poder da respiração e do som. Guaxinim – entendendo a natureza das mascaras, disfarce, destreza, buscando guiança e confiança, questionando sem medo, equilibrando a curiosidade. Gorila – inteligência, gentileza, instinto materno, uso da fala, benevolência. Hiena –segredos selvagens, adaptabilidade, paciência, perseverança, força, entendendo o valor de cooperação, defesa de limites, comunicação em espaços escuros, cantando a sua canção da alma, entendendo o valor da comunidade. Hipopótamo – uso adequado da agressão, habilidade para mover-se graciosamente nas emoções, uso da agressividade maternal, idéias novas, proteção da família. Jaguar – vendo os caminhos dentro do caos, entendendo os padrões do caos, movendo sem medo na escuridão, achando o poder pessoal da pessoa, movendo-se para outros mundos, camuflagem, visão psíquica. Javali – habilidade para pressentir perigo, coragem, proteção, habilidade para achar a verdade, uso de uma máscara feroz. Leão – libertar-se das tensões, forte ligação com a família, força, coragem, energia, assertividade da feminilidade, poder feminino do sol. Leão Marinho – usando sabiamente máscaras ferozes, movendo-se em águas emocionais, vivendo em grupo, defesa de território, imaginação, criatividade. Lêmure – conhecimento das florestas, vendo o não visto, habilidade para pegar conceitos sobre a estática da vida, entendendo como permanecer acima das rixas da vida. Leopardo – superando nossos demônios e assombrações, renovação da vida, vitalidade, espiando, aproximando-se de alguém sem ser visto, movendo-se no mundo das sombras. Lince – silêncio, segredo e visão do desconhecido. Lhama – superando o materialismo, movendo-se em situações difíceis, confortando o outro, resistindo ao frio. Leopardo da neve – entendendo a sua sombra, confiando no seu ego, agilidade, força, habilidade para espiar, entendendo o poder do silêncio. Lobo – professor, guardião, lealdade e espiritualidade. Lontra – alegria, brincadeira, partilha e feminilidade. Lince – sutileza de visão, adivinhação, desenvolvendo sensações psíquicas, guardião dos segredos e mistérios, movendo-se pelo tempo e espaço. Marmota – habilidade para mover-se internamente, sensibilidade para sentir a vibração, introspecção, transe, sonhos, conhecedor da morte antes de morrer. Morcego – morte e renascimento, transição, iniciação, habilidade para avaliar o invisível. Orangotango – gentileza, conexão com os espíritos da floresta, ingenuidade para lidar com problemas, colocando-se acima das rixas. Orça – usando a vibração do som para curar, achando sua canção da alma, memória da alma, vendo o invisível. Panda – entendendo o valor da lentidão, alegria. Pantera Negra/ Onça – viagem astral, energia guardiã, símbolo do feminino, reivindicando o verdadeiro poder, morte e renascimento. Peixe Boi – habilidade para caminhar com suavidade na terra, gentileza. Porco – mostrando a verdade, magia das profundezas da terra, conhecimento de vidas passadas, inteligência, esperteza. Porco-espinho – renovando o sentido de admirar-se, inocência, fé e confiança. Preguiça – associando a sabedoria ao mover-se lentamente, entendendo os espíritos das arvores, tenacidade. Puma/ Leão da Montanha – liderança, equilibrando intenção e força, desenvolvendo a auto-confiança, comando e poder pessoal. Rato – timidez, quietude, compreendendo os detalhes, vendo o significado por trás das coisas, descoberta, cautela, símbolo de fertilidade e riqueza, inteligência. Raposa – inteligência, observador, esperteza, camuflagem, cautela, invisibilidade, mudança de forma. Rena – suavidade, bondade, amor, coragem, nobreza, beleza e poder. Rinoceronte – descobrindo o conforto da solidão, auto-conhecimento, sabedoria ancestral, confiança nos instintos. Tamanduá – habilidade para achar objetos perdidos, conexão com o mundo dos insetos, habilidade para cheirar dificuldades, capacidade para encontrar soluções ao seu redor. Tatu – entendendo seu limite pessoal, respeitando os limites dos outros, proteção, empatia, discrição e discernimento. Texugo – corajosa auto-expressão e confiança, guardião de histórias, agressividade, esperteza, perseverança, proteção. Tigre – poder, energia, força, paixão, agindo de maneira oportuna, sensualidade e ação sem análise. Toupeira – destacando a auto-expressão, desprendimento, guardião de historias, agressividade. Touro – fertilidade. Urso – despertar do poder do inconsciente, introspecção, curador, morte e renascimento, transformação, defesa, sabedoria. Urso Polar – introspecção, solidão, especialista para navegar em águas emocionais, habilidade para achar alimento em paisagens estéreis, força em face a adversidade, comunicação com o espírito, sonhos, morte e renascimento, transformação, criatura de sonhos, defesa e vingança. Vaca – colocando-se alerta ao perigo, satisfação, amor, compartilhando em comunidade. Veado – gentileza, inocência, encanto por novas aventuras, habilidade para escutar, equilíbrio entre graça e beleza. INSETOS, RÉPTEIS, PEIXES E ALGUNS INVERTEBRADOS  Abelha – compreendendo a energia guerreira, reencarnação, comunicação com os mortos, ajudando os mortos a encontrarem o seu lugar, concentração, prosperidade, fertilidade, mel da vida. Água-viva – sensibilidade para lidar com a energia das emoções, entendendo o valor de flutuar ao invés de brigar com a corrente, suavidade, flexibilidade. Arraia – habilidade para nadar lentamente em águas emocionais, conhecendo as medidas dos seus limites, compreendendo as diferenças. Aranha – tecedor da rede do destino, sabedoria, criatividade, inspiração divina, entendendo os padrões da ilusão, criatividade. Barata – acelerando para evitar danos, compreendendo a sombra, movendo-se pelo medo, compreendendo a decepção. Besouro, Joaninha – transporta o fio dourado que conduz ao centro do universo, conhecimento sobre vidas passadas, esclarecimento espiritual, morte e renascimento. Borboleta – transformação, transmutação, renascimento, dança da alegria. Camaleão – uso da cor como camuflagem, usando a capacidade de alcançar o alto como uma ferramenta de sobrevivência, paciência, habilidade para escalar para atingir metas e objetivos, usando o sol como fonte de poder. Caracol e Lesma – importância de se manter móvel, entendendo o valor de deixar rastro, habilidade para usar o movimento lento para tirar proveito, defesa por retirada. Caranguejo – habilidade para escapar movendo-se lateralmente, entendendo o poder de dança, aspectos masculinos de comunidade, achando novas utilidades para coisas aparentemente inúteis. Cavalo marinho – colibri do mar, alegria, entendendo a importância da dança do namoro, habilidade para esperar enquanto as águas emocionais passam, educação paternal dos filhos. Cigarra – transformação e morte de comportamentos antigos, alegria. Cobra – manipulação, controla os raios, transmutação, exploração dos mistérios da vida, poder criativo, imortalidade, trás a energia de Shiva – destrói para que o novo possa aparecer ou ser construído. Diabo da Tasmânia – auto-defesa, proteção de território, habilidade para usar da perseverança quando necessário, entendendo como e quando lutar. Escorpião – morte e renascimento, transmutação de venenos, maldade. Formiga – paciência, fibra, planejamento, energia e paciência necessária para completar o trabalho, vivendo em comunidade, armazenando para o futuro. Gafanhoto – saltando pelo espaço e tempo, pulos de fé, saltando sem saber onde aterrissará, saltando sobre os obstáculos, habilidade para mudar rapidamente de direção. Gaivota – comportamento responsável, mensageiros espirituais, comunicação, amizade. Jacaré, Crocodilo – proteção materna, conexão com a mãe terra, compreendendo as decepções, vingança, iniciação, compreendendo a função do tempo, acesso ao conhecimento antigo. Lagarto – superação do ego, enfrentado os medos, sonhos, visões, sutileza de percepção, regeneração. Libélula – entendendo os sonhos, poder da luz, demolindo ilusões, vendo a verdade nas situações vividas, velocidade, mudança. Louva-Deus – habilidade para manipular o tempo, poder para se mover nos momentos necessários, entendendo a natureza circular do tempo, poder da quietude, energia da fêmea, estratégia de ataque. Lula, Polvo – inteligência, movendo-se rapidamente para longe do perigo, usa cortinas de fumaça para livrar-se do inimigo, destruindo barreiras. Mosca – sobrevivência, visão multifacetada da realidade, habilidade para transformar o desperdício em valiosos recursos, transformação, adaptação para os ambientes mais severos. Ostra – habilidade para filtrar, entendendo quando fechar as portas para prevenir perdas, manutenção da parede exterior para proteção. Perereca – lembrança dos laços comuns com toda a vida, cantor das canções que celebram o começo da vida, transformação, limpeza, compreendendo as emoções, renascimento. Piranha – rasgando os inimigos separadamente, entendendo o poder do grupo, habilidade para consumir totalmente o que lhe é dado. Salmão – valor de voltar para casa para regenerar-se, nadando rio acima por águas emocionais para ganhar perspicácia, conhecimento espiritual. Sapo – conexão com os estados alterados da consciência, símbolo da terra, camuflando seu veneno, vida longa, limpeza. Tartaruga – símbolo da terra, habilidade para navegar, paciência, conhecendo os limites do ego, respeitando os limites dos outros, desenvolvendo novas idéias, desenvolvendo a auto-confiança, tenacidade, defendendo seu espaço sem violência. Tubarão – habilidade para se mover constantemente, nunca baixa a guarda, habilidade para defender a si mesmo.

 Vespa – uso da energia da guerreira, irmandade, compreendendo a força das irmandades femininas, vivendo em comunidade.

 

ALGUNS ANIMAIS E SEUS SIGNIFICADOS

Na perspectiva xamânica todos os animais são considerados sagrados e todos trazem um significado e valor espiritual específico. São reverenciados e honrados por diversas culturas antigas e por todas as tradições xamânicas do mundo.

 

PAVÃO 

O Pavão simboliza bondade, generosidade e magia. Ele possui um antigo conhecimento de magia e é capaz de trabalhar a energia para criar tudo o que quer. Na Índia suas penas são utilizadas para afastar espíritos malignos. No Xamanismo Ancestral existe o Clã do Pavão, que rege o elemento Fogo. Este animal também nos trás o senso da bondade, generosidade e capacidade de abarcar a vida. Passáro grande e gracioso, o Pavão vive num corpo no plano terrestre e que precisa aproveitar sua capacidade para manifestar prazeres hedonísticos. Sua forma é bela, mas ele não esta apegado a ela: estar em um corpo é como usar uma máscara. Quem domina a arte de pôr e tirar as máscaras quando bem entende vive no corpo com uma liberdade que lhe permite brincar. O Pavão tem muito a nos ensinar sobre humor, o tipo de humor que nos impede de abusar do poder. Possui o dom de pegar as coisas no ar. E como todos os dons, deve ser tratado com gratidão e alegria. Pois há uma grande generosidade nesse modo de ser.

LOBO

O Lobo simboliza inteligência, sabedoria e cura, ele partilha sua energia com os demais. Ele é o arquétipo do professor, precussor de novas idéias. Ele sai, aprende e volta ao seu clã para ensinar o que aprendeu. O Lobo quando encontra e escolhe uma parceira geralmente é para o resto da vida, é ligado à família, embora mantenha um caráter individualista e solitário. A energia desse animal nos ensina a buscar nossa verdadeira matilha, nosso clã, família ou escolher um(a) companheiro(a) que possa acompanhar esse novo ciclo. Mas também importa, acima de tudo, em isolar-se de forma que possa escutar sua voz interior. Podendo ser um isolamento em algum Lugar de Poder, ou se não for possível esse isolamento, busca pelos ensinamentos sagrados nos quais acredita que a sua voz interior possa vir a manifestar-se com clareza. Busca sua intuição. Com certeza, se há algum impasse, ao invocar a energia do Lobo como Animal Sagrado, o xamã será impelido a aprender com sua própria sabedoria, ou com a sabedoria ancestral. Aprender a escutar sua própria intuição e voz interior.

CAVALO

O Cavalo simboliza liberdade, força e poder. Seu poder não esta ligado à espiritualidade, não tem nada a ver com nenhuma doutrina ética, não é símbolo de nenhuma ideologia. O Cavalo significa poder interior, liberdade de espírito, viagem xamânica, força e clarividência. Nada encarna melhor o espírito de liberdade do que os Cavalos selvagens. Para os xamãs, são considerados veículos seguros para viajar tanto no mundo físico quanto no espiritual. Esse animal está relacionado ao planeta Marte, que nos Vedas (escrituras sagradas) exterioriza o arquétipo de Agni (Deus do Fogo), sendo o fogo um dos elementos mais poderosos da natureza. Agni reje os rituais, as celebrações e as cerimônias sagradas. ÁGUIA

Águias são consideradas um bom augúrio. Elas representam a proteção, sabedoria, abundância, força, espiritualidade. Muitos xamãs dizem que quando se está rezando ou fazendo cerimônias, e elas aparecem no ar, significa que as preces serão atendidas. A Águia carrega nossas preces diretamente para o Grande Espírito. Ela fala da energia e poder das Quatro Direções, do fluxo sagrado. Ela fala da verdade que ecoa em nossos corações e espíritos. E ela fala em andar na beleza. A Águia é a mestra das alturas, ela mantém um perfeito equilíbrio entre a Terra e o Céu. Representa a energia solar. É o equilíbrio de três energias: o Céu simboliza nossa natureza espiritual, a Terra nossa natureza física e o Sol energia de vida. A águia guia e traz equilíbrio e harmonia entre essas tres forças essenciais. A Águia nos ajuda a ver acima da ignorância, ela é a conexão do Eu Inferior com o Eu Superior. Os nativos norte-americanos dizem que ela voa perto do Sol, significando a iluminação do Grande Espírito. Ela ensina a atacar com coragem o medo do novo, do desconhecido, para conhecer novos horizontes, a ir por níveis superiores de consciência. É o simbolo da liberdade. A Águia tem sido cultuada e reverenciada por muitos povos há milênios. É incontestável a força do seu simbolismo no inconsciente coletivo da humanidade. Curandeiros e xamãs usam suas penas como um importante instrumento de poder curativo. Com os olhos da Águia podemos ver com a visão da luz solar clareando a verdade na escuridão da ilusão. Esta visão clara permite-nos ver à distância, para enxergar a nossa própria vida, livre de preconceitos e preocupações. Permite-nos voar longe dos limites dos detalhes, focando as coisas mais importantes e, desenvolvendo nossos espíritos. A Águia ensina a ampliar a percepção sobre nós mesmos além dos horizontes visíveis. TUBARÃO

Tubarão simboliza a morte, a transformação. Trata-se de um animal predador, que significa audácia, coragem, velocidade, astúcia, agressividade, e acima de tudo poder sobre a morte. Ele é o rei dos mares, o símbolo sagrado de Netuno, o Deus dos Oceanos e representado como o Deus Varuna, na Mitologia Hindu. O Tubarão nos faz despertar para o triunfo. A morte representada por este animal esta relacionada à transformação. Somente podemos emergir para a superfície, para Luz, quando ultrapassarmos os limites mais sombrios do fundo do oceano, nossos sentimentos mais intrínsecos. Morrer para reviver. A energia de transformação do Tubarão consiste em jogarmos para fora tudo que não nos serve mais, e aceitar a morte como estado de transformação e triunfo.

GOLFINHO

Os Golfinhos são mamíferos marinhos muito sensíveis, brincalhões e desenibidos - e tem muito a nos ensinar sobre a pura alegria de viver. O Golfinho rege a comunicação, que consiste de certos padrões e regras. Padrões e regras que ao observarmos, notaremos que sua comunicação com os demais é realizada através de padrões e ritmos, necessários para ocorrências de palavras. As pausas entre os sons também fazem parte da linguagem. Graças à sua facilidade de comunicação é considerado o "Hermes do Mar". É próprio do golfinho, como Animal de Poder, perceber a continuidade em todas as ações da vida. Quando nadamos no mundo dos golfinhos valorizamos mais a simplicidade, alegria, as realidades material e espiritual, assuntos como telepatia (como tipo de comunicação) e viajens e experiências xamânicas, devido sua ligação com viajens oceânicas em grupo.

TIGRE

O Tigre é o animal mais feroz, enfrenta inclusive o Leão, que é considerado o rei das florestas. Ele é um animal felino. Representa beleza, vaidade, astúcia, inteligência e coragem. Um caçador nato, porém solitário e silencioso. De tão grande, ele chegando a medir em média três metros de comprimento e a pesar quase quatrocentos e sessenta quilos. No Xamanismo Ancestral o Tigre possui um simbolismo muito importante, ele serve de acento para Shiva Shankara, o Pai-Céu, significando que Shiva dominou às forças da natureza! O Tigre é um animal de aproximação lenta, de preparação cuidadosa e que aproveita as oportunidades para atacar, chegando a alcançar oitenta quilômetros por hora em suas cassadas. Por ser possuidor de uma força muscular imensa, é capaz de correr distâncias para perseguir suas presas. Ele estuda suas presas e também seus inimigos. Possui uma audição fora do comum, olfato aguçadíssimo e visão seis vezes maior que a do ser humano, principalmente à noite. Este animal nos ensina a ter foco na vida e paciência. É um animal independente e muito confiante.

ONÇA PINTADA

A onça é um animal deliberadamente solitário. É astuciosa, observa os movimentos da presa antes de atacá-la. Possui a capacidade de aprender e conviver consigo mesmo e a não depender dos outros para atingir seus objetivos. Ensina a conquista do nosso espaço, a cautela, o saber agir, a habilidade e a agilidade. Para muitos xamãs, suas presas são utilizadas como poderosos amuletos, como também serve de troféu para grande guerreiros. CASTOR

O Castor como Animal de Poder nos ensina a arcar de modo criativo com as responsabilidades do dia a dia. Ele nos ajuda a sermos mais produtivos e diligentes em nossas atividades. O Castor faz o que precisa ser feito, sem desperdiçar energias com procrastinações. Ele estimula a criatividade nas tarefas mais humildes e usa seus instintos para realizá-las com o máximo de eficiência, pois é muito diligente e adora trabalhar. Como Animal de Poder, o Castor nos ensina a trabalhar em equipe já que, no desenvolvimento de seus projetos de construção, todas as contribuições se equivalem e toda ação desempenha uma função necessária: na comunidade de castrores, todo mundo é artista ou projetista. O Castor sintetiza o ditado: “Antes da iluminação, corte a lenha e carregue a água; depois da iluminação, corte a lenha e carregue a água”. LAGARTO

O Lagarto é um animal muito tímido, suas lições falam de solidão, de alienação e de auto-imagem negativa. O Lagarto é solitário por natureza. O Lagarto é parente do camaleão, embora seu habitat não lhe proporcione tantas oportunidades para se esconder de seus predadores. Assim como o camaleão muda de cor de acordo com o ambiente, o lagarto muda de aparência durante toda sua vida. Como Animal de Poder, o Lagarto fará que entendamos nosso processo evolutivo e como precisamos desenvolver nossa forte couraça para garantir nossa sobrevivência nessa existência material. Protegido por sua forte couraça, este animal nos remete a entender Quem Realmente Somos por baixo de nossa couraça e a explorar nosso próprio processo de autoproteção, que nos acompanha desde que nascemos. Compartilhando nossa história de vida com o Lagarto, observaremos que nosso corpo e nossa alma se lembrarão, no nível celular, de um tempo em que ainda não precisámos de proteção - da couraça invisível que nos servia de escudo. Esta é uma oportunidade maravilhosa para participar de nossa própria evolução. No espaço seguro que o Lagarto nos proporciona, podemos sair da couraça protetora que criamos, assim como o Lagarto muda de pele, mesmo que seja temporariamente.

 

Siga-nos

Saiba mais

Rua 15 de Setemb ro, 96 - Saude - CEP 04053-070 - São Paulo

tel.: (11) 2275-9072 - 99141-4488

  • w-facebook
  • w-googleplus
  • w-linkedin
  • Twitter Clean

© 2023 por Cuidado do Corpo. Orgulhosamente criado com Wix.com