Apresenta vantagens sobre outras terapêuticas por permitir o tratamento de estados pré-patológicos e corrigir os transtornos funcionais,que caso não sejam tratados,evoluirãopara patologias lesionais.

 

O desequilíbrio dos MINERAIS pode ser percebido, dentre outros

sintomas através de fadiga excessiva, gripes freqüentes, tensão emocional sem causa aparente, dores decabeça, dificuldades para dormir, queda repentina de cabelos, e se estes sintomasaparecem em conjunto é uma excelente pista de desequilíbrio, apontada nos diversos mapas,confirmado no Mineralograma.

 

Sem a ingestão de remédios químicos, sintéticos e outras drogas, não há efeitos colaterais, nem problemas estomacais, entre outros. Agindo direta na corrente sangüínea, os OLIGOELEMENTOS têm efeito mais rápido e não sofrem a diminuição de seu potencial, que poderia ser ocasionada pela ação dos sucos gástricos.

 

Conhecida como "lipo natural", oligoterapia promete equilibrar as carências de minerais do organismo e ainda melhorar a silhueta.

 

 

 

 

 

Oligoterapia via derme

 

TERAPIA ORTOMOLECULAR (Oligoterapia)

 

Terapia Ortomolecular ou Oligoterapia é uma ciência que tem como objetivo principal equilibrar os minerais e vitaminas em nosso organismo.

 

Trata-se de uma medicina alternativa originada na França que tem como objetivo tratar as doenças físicas e psíquicas em nível molecular.

 

Nessa terapia, a cura está associada aos íons e à energia transmitidos pelo oligoelementos

 

O terapeuta, através de uma pesquisa minuciosa com o cliente, detecta quais são suas carências minerais e por meio de técnicas de ionização, bandagens e procedimentos específicos da Ortomolecular, repõe os mesmos nutrindo assim as deficiências do cliente para que o mesmo obtenha uma vida saudável com bem estar.

Na ausência de minerais, fica aberta a porta para:

 

  • ansiedade,

  • nervosismo,

  • stress,

  • depressão,

  • diabetes,

  • hipertensão,

  • osteoporose,

  • artrite,

  • artrose,

  • envelhecimento,

  • obesidade,

  • cancer,

  • alzheimer,

  • trombose,

  • infarto

 

entre outras disfunções podendo levar à graves estados patológicos.

 

 

Qual a função da Ortomolecular / Oligoterapia?

Uma das bases da Terapia Ortomolecular Oligoterapia é o combate aos radicais livres (RL), que são quaisquer átomos, moléculas ou íons que possuam um ou mais elétrons livres na sua órbita externa. Estes elétrons têm grande instabilidade química e, mesmo tendo meia vida de frações de segundos, são altamente reativos com qualquer composto próximo, a fim de retirar deste o elétron necessário para sua estabilização, produzindo reações de dano celular em cadeia, e sendo assim chamado de oxidantes.

O que são os radiais livres?

Os radicais livres são moléculas que não possuem um eletron não-pareado, tornando-se altamente reativa e ávida a capturar outras estruturas moleculares vizinhas, um outro eletron para que se refaça a polaridade eletrônica e a estabilidade dessa sua estrutura provocando o aparecimento de moléstias degenerativas (reumatismo, osteoporose, parkison, etc.)

O que são os Antioxidantes?

Os Antioxidantes são substancias endógenas capazes de destruir os radicais livres ou impedir a sua formação.Os antioxidantes "doam" um elétron ao radical livre, neutralizando sua atividade nociva.

 

Os 3 principais antioxidantes


Primeira linha de defesa: são enzimas
       (SOD – Catalase-Glutation) 

  • A catalase é uma enzima que catalisam reações químicas que ocorrem em sistemas biológicos.em cuja formação é necessária a presença de minerais como zinco, cobre, manganês, selênio e magnésio.

 

Superóxido Dismutase Catalise

Glutation (ou glutationa)

Quais as principais causas na formação dos Radicais Livres?

 

  • A  enzima superóxido dismutase catalisa a dismutação do superóxido em oxigénio e peróxido de hidrogénio. Devido a isto, é uma importante defesa antioxidante na maioria das células expostas ao oxigénio

 

  • Glutation (ou glutationa) é um tripeptideo sulfúrico hidrosoluvel composto por 3 aminoacidos : glicina, ácido glutâmico, e cisteina, sendo este último que confere as suas propriedades bioquímicas. 

 

 

(b) Segunda linha de defesa: os captadores de radicais livres são as vitaminas A, B, C, E.
Esses minerais e vitaminas são chamados antioxidantes
.

 

TODOS OS BIOMINERAIS CONHECIDOS ENCONTRAM-SE EM NOSSO ORGANISMO,

ADQUIRIDOS PELA ALIMENTAÇÃO, MAS POR DIVERSOS MOTIVOS, MUITOS AINDA

DESCONHECIDOS, PODEM SE ENCONTRAR BLOQUEADOS, INERTES OU

ELETRICAMENTE DESCARREGADOS.

 

No nosso organismo, os radicais livres são produzidos pelas células, durante o processo de combustão por oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos absorvidos em energia. Os radicais livres podem danificar células sadias do nosso corpo, entretanto, o nosso organismo possui enzimas protectoras que reparam 99% dos danos causados pela oxidação, ou seja, nosso organismo consegue controlar o nível desses radicais produzidos através de nosso metabolismo.

 

Os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. Fatores externos podem contribuir para o aumento da formação dessas moléculas. Entre esses fatores estão:

 

  • Poluição ambiental; Raio-X e radiação ultravioleta; Cigarro; Álcool; desequilíbrio de íons

  • Resíduos de pesticidas; Substâncias presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, conservantes, hormônios); Estresse; Consumo de gorduras saturadas (frituras, etc); Consumo de gordura animal

O que é Estresse Oxidativo?

O Estresse Oxidativo é uma quantidade de radicais livres

 

que provoca modificação da função e da estrutura celular,

 

o que poderá levar a morte da celula, incorrendo em alterações

 

funcionais e estruturais na célula...

O que são Oligoelementos?

Oligo: prefixo de origem grega que significa "pouco" em pequenonúmero..

Os Oligoelementos são elementos que se encontram em nosso organismo em quantidades infinitesimais e que agem como reguladores e ativadores das trocas metabólicas do organismo, restabelecendo seu equilibrio biológico.

São ions catalisadores que reativa o metabolismo de defesa do organismo, desempenham diversas funções metabólicas no organismo, principalmente na formação de enzimas vitais aos mais diversos processos bioquímicos realizados pelas células. 

 

A pele além de proteger o corpo, é também uma importante via de administração de medicamentos e ativos cosméticos, com isso várias substâncias com fins terapêuticos podem ser aplicadas, aos quais apresentam diferentes alvos e mecanismos de ação.

 

A aplicação dos oligoelementos penetram na pele e vão direto a corrente sanguinea não passando pelo processo digestivo que faria com que sua absorção não fosse total....

Porque aplicar a Oligoterapia via derme

Como é feito o tratamento de Oligoterapia?

O tratamento com oligoterapia começa com o mapeamento do perfil do cliente, através da avaliação de sua personalidade, comportamento, sintomas e por fim determinar os minerais em desequilibrio para serem recomendados em dose de compensação, visando sempre tratar o cliente como um todo e não apenas seus sintomas.

 

Como ministrar os Oligoelementos

 

1 -  Por Ionização onde é utilizado aparelho de estética - Com aplicação de algumas gotas do oligoelemento sobre a pele e é passado o bastão para que seja totalmente absorvido. Consulta semanal

 

2 - Em Gel -  onde a pessoa deverá aplicar nos pulsos  durante 1 mês e será  realização para uma nova avalição.

 

3 - Diretamente na pele seguindo o mesmo processo da inonização.

 

 

Os Oligoelementos

BiSMUTO Gastrite, piorréia, aftas, sinusites, amigdalites, faringites, enterocolites, mononucleose infecciosa, gengivites, adenomegalias, hipertrofia das adenóides.

 

BORO Age  nos  hormônios sexuais  (testosterona,  estradiol, dhea,  progesterona), envelhecimento,  reumatismo, menopausa,  estirelidade, disfunção sexual, impotência, perda ou diminuição da libido, melhora da atenção, percepção, obesidade, distúrbio da memória recente ou remota, coordenação motora, osteoporose, risco de trombose, artrite, endometriose.

 

CÁLCIO
Essencial no crescimento, gravidez e lactação. Rege a descontração muscular. Colabora na coagulação sanguínea. Em alta divisão molecular é um vitalizador celular e corretor dos centros nervosos.
INDICAÇÕES: Raquitismo; Osteoporose; Osteomalacia; Osteopenia; Consolidação de fraturas; Dentição; Cárie dentária; (associado ao Flúor); Descalcificação; Desmineralização; Insônia; Hipertensão; Estados nervosos.

COBALTO
Ocupa o centro da estrutura da Vitamina B12. Regularizador no sistema Neuro Vegetativo na Vasodilatação e Hipotensão. Antagonista da adrenalina. Melhora a microcirculação. Estimula a hematopoiese.

INDICAÇÕES: Distúrbios Neuro-Vegetativos; Hipertensão e Hipotensão arterial; Insuficiência circulatória periférica; Acrocianose; Espasmos arteriais e dos pequenos vasos; Taquicardias; Cardialgias; Doença de Raynaud; Artrite dos membros inferiores; Enxaquecas (1 dose de hora em hora); Palpitações; Angústias; Distúrbios psíquicos do tipo ansioso e particularmente antes e durante exames, concursos, etc.

COBRE
Estimula os processos de defesa orgânicos. Anti-infeccioso. Anti-inflamatório. Completa a atividade da Vitamina C.
INDICAÇÕES: Todos os estados infecciosos agudos ou evolutivos; Todos os processos inflamatórios; Gripe e suas complicações; Vitiligo (algumas formas).

CROMO
Essencial ao metabolismo das gorduras e açúcares. Cofator da insulina. Moderador do apetite.
INDICAÇÕES: Diabetes; Doenças de nutrição; Arteriosclerose; Obesidade.

ENXOFRE
Biocatalisador nas doenças da pele, doenças alérgicas, insuficiência digestiva hepato biliar.
INDICAÇÕES: Insuficiência Hepato-Biliar; Insuficiência Digestiva; Doenças de pele; Asma; Rinite; Síndrome Neuro-Artrítico; Enxaquecas; Doenças alérgicas.
Deve ser associado a todos os tratamentos de afecções cutâneas porque é um dissensibilizante universal nomeadamente nos casos de acne, eczema e urticária.

ESTANHO
Biocatalisador nas estafilococcias. Antiinfeccioso.

INDICAÇÕES: Abcessos; Furúnculos; Antraz; Acne infectada.

FERRO
É considerado o mais importante elemento na formação dos glóbulos vermelhos. Acelerador enzimático.
INDICAÇÕES: Anemias Ferropênicas; Convalescença; Hemorragias; Atrasos de crescimento; Gravidez.

FLÚOR
Essencial à regularização do metabolismo de fixação do Cálcio. Preventivo da cárie e osteoporose.
INDICAÇÕES: Distúrbios na calcificação: Escoliose, Cifose, Raquitismo, Atraso no crescimento. Osteoporose; Osteomalacia; Osteopenia; Hiperlaxidez ligamentar; Entorses repetitivas; Distrofias ósseas; Prevenção da cárie dentária.

FÓSFORO
Biocatalisador no metabolismo fosfocálcico, sobre a paratireóide, sobre o cérebro e o Sistema Nervoso Central. Fonte de energia da célula (A.T.P.).
INDICAÇÕES: Astenia física e psíquica; Depressões nervosas; Estados de esgotamento cerebral; Estados espasmódicos:(Respiratório, Circulatório, Muscular). Distrofias ósseas; Associado a Cobre/Ouro/Prata é indicado no início da doença de Dupuytren; Miastenia; Cãibra; Tetania; Regulação do tônus cardio-circulatório (associado ao Mg e Ca); Osteoporose onde o metabolismo paratireoideano esteja em causa.

GERMÂNIO
Revitalizante celular. Imunoestimulante.
INDICAÇÕES: Estados pré-cancerosos.

IODO
Regularizador da tireóide. Profilático das escleroses orgânicas.
INDICAÇÕES: Bócio; Obesidade tipo tireoideano; Hipotireoidismo (associar ao Manganês-Cobre); Hipertireoidismo (associar ao Manganês); Profilático das escleroses orgânicas; Hipertensão Arterial, associado ao Manganês – Cobalto
· Dismenorréias (hiper e hipo).

LITIO
Regulador do sistema hidroeletrolítico. Ativador enzimático. Atua no Sistema Nervoso Central (manifestações psíquicas ou psicossomáticas menores).
INDICAÇÕES: Estados ansiodepressivos menores; Perturbações do sono; Ansiedade crônica; Angústia; Fobias; Perturbações do comportamento; Emotividade; Abulia; Instabilidade; Inibição; Psico-dermatoses; Nervosismo; Irritabilidade; Agressividade; Desmame de ansiolíticos; Estados de esgotamento cerebral; Uremia; Uricemia; Gota.

MAGNÉSIO
Intervém em todos os Sistemas e Aparelhos. Cárdio-protetor. Regulador térmico. Anti-espasmódico.
INDICAÇÕES: Todas as perturbações provocadas por má regulação do metabolismo do Cálcio e da ossificação: Espasmofilia, Senescência, Desmineralização, Perturbações do Crescimento, Raquitismo, Gravidez e Aleitamento, Verrugas. Cãibras; Profilaxia do aborto; Debilidade emocional; Ansiedade; Angústia; Cefaléias; Vertigens; Arritmias; Tremores; Neuroses; Psicopatias; Dermatoses; Insônias constituídas ou por auto-intoxicação; Obstipação crônica; Colites; Insuficiências hepáticas funcionais.

MANGANÊS
Corretor de Terreno da Diátese I. Ativador de numerosas enzimas. Aintialérgico, dessensibilizante.
INDICAÇÕES: Asma alérgica; Alergias alimentares; Sinusite; Rinite alérgica; Coriza espasmódica; Urticária; Eczema; alérgico; Prurido; Astenia matinal; Hiperatividade vespertina; Poliartralgias; Hipermenorréia; Indicações específicas da Diátese I; Falta de Memória nos jovens; Insônias nos “alérgicos” que dormem pouco; Enxaqueca.

MOLIBDÊNIO
Coenzima das Xantino-Oxidases, Aldeído-Oxidases, Hidrogenases. Biocatalítico nas anemias hipocrônicas, anorexias tóxicas e mentais.
INDICAÇÕES: Anemias hipocrômicas; Anorexias tóxicas e mentais.

NIQUEL
Biocatalisador. Óxido-Redutor. Cofator enzimático múltiplo. Tem ação sobre o pâncreas endócrino e exócrino.
INDICAÇÕES: Disfunções Hepato-Bilio-Pancreáticas; Diabetes; Obesidade; Celulite.

POTÁSSIO
Antiálgico. Regulador da função supra-renal. Diurético.
INDICAÇÕES: Obesidade por retenção hídrica; Reumatismos degenerativos; Edemas (Renais e Cardíacos); Fadiga muscular.

SELÊNIO
Anti-oxidante. Anti-senescente. Anti-trombótico. Neutralizador de radicais livres. Reconstituinte energético por estimulação central sobre as supra renais e gônadas.
INDICAÇÕES: Uremia; Uricemia; Doença de Keshan; Neoplasias; Astenia psicofísica; Impotência; Frigidez; Esterilidade (com o Cu e Zn); Micoses; Acne; Neutralização de radicais livres (Associado às vitaminas A e E).

SILICIO
É fundamental para a estrutura e elasticidade dos tecidos moles; reidrata a pele e as mucosas. Regulariza a atividade endócrina. Estabilizador geral.
INDICAÇÕES: Queda de cabelo; Unhas quebradiças, deformadas, com manchas brancas. Osteopenia; Osteoporose; Artrose; Hiperlassidez ligamentar; Regeneração de tecidos lesados; Adenopatias; Deficiência intelectual; Verrugas.

TITÂNIO
Preponderante nas síndromes do terreno do Artro-Tuberculoso. Estabilizador geral.
INDICAÇÕES: Fragilidade tráqueo-brônquica; Bronquite; Laringite; Sinusite.

VANÁDIO
Oxi-redutor. Auxiliar no controle do Diabetes. Hipocolesterolemiante.
INDICAÇÕES: Hipostenia; Neoplasias; Coadjuvante no tratamento do Diabetes.

ZINCO
Indispensável à síntese de algumas enzimas. Participa da absorção de açúcares e proteínas;na regularização das perturbações do eixo Hipófiso-Genital-Suprarenais. Estimula os sistemas de defesa.
INDICAÇÕES: Perturbações no eixo Hipófiso-Genital-Suprarenais; Atrasos no crescimento; Menopausa; Disfunções sexuais (impotência e frigidez). Prostatismo; Hiper-menorréias; Dismenorréias

Oligoterapia para o emagrecimento

Os Oligoementos são microminerais que agem como ativadores das trocas metabolicas do organismo, essas enzimas eliminam os radicais livres, restabelecendo o equilibrio do metabolismo, facilitando assim a quebra de gorduras localizadas eliminando as toxinas do corpo.

Um metabolismo preguiçoso tende a armazenar mais energia do que gasta, os oligoelmentos tem a função de ativar essas celulas através das enzimas acelerando com isso gastando mais a energia facilitando com o emagrecimento.

Oligoterapia e os outros tratamentos

Devemos analisá-la sob dois aspectos: a prevenção e os estados patológicos manifestos.
É no campo da prevenção que a oligoterapia demonstra-se como uma arma indispensável. Alguns médicos e profissionais da saúde chegam a atribuir a ela um papel exclusivo ou pelo menos um lugar privilegiado, em cerca de 80% das indicações. O percentual restante é reservado aos minerais que requerem doses mais “substanciosas” (como o magnésio, o potássio, o cálcio) ou da integração das vitaminas (grupo B,E,C e A), que podem ser encontrados em suplementos nutricionais.
Nos estados patológicos manifestos, a oligoterapia será utilizada como um complemento (indispensável) às terapias clássicas.


OLIGOTERAPIA E MEDICINA ALOPÁTICA

A associação da oligoterapia aos fármacos alopáticos não apresenta nenhum inconveniente.
Ao contrário, os oligoelementos, na grande maioria dos casos reforça a ação dos antibióticos e dos quimoterápicos e anti-infecciosos modernos, permitindo assim uma recuperação mais rápida e uma redução das doses deles, e ainda, as recaídas e as recidivas serão mais raras (ou mesmo suprimidas), pelo fato de se ter atacado o agente patogênico e modificado a receptividade às infecções.
A relação entre o manganês é a tireóide são extremamente evidentes. Da mesma maneira há uma relação estreita entre o fósforo e as paratireóides, entre o cobre e as supra-renais, entre o zinco e a hipófise.
O Zinco e o Cobre se associará eficazmente à tireóide, à hipófise e a timo para agir sobre o desenvolvimento somático das crianças. Os mesmos oligoelementos associados à tireóide, à hipófise e às glândulas genitais trará resultados sensíveis sobre o eixo hipófiso-genital. O Zinco, o Níquel e o Cobalto associados ao pâncreas harmonizará o eixo hipófiso-pancreático. Tudo se passa como se a adição “ativasse” a catálise no sentido preciso da glândula correspondente.

OLIGOTERAPIA E FITOTERAPIA

Vários fitoterapeutas que utilizam oligoelementos têm observado que as duas terapias são absolutamente complementares.

OLIGOTERAPIA E A HOMEOPATIA

Sabemos que numerosos profissionais de saúde utilizam voluntariamente oligoelementos paralelamente à homeopatia, com excelentes resultados. Dada sua formação, os homeopatas são mais aptos a entender o papel dos oligoelementos como reguladores do fator “terreno”. Não se pode, no entanto, confundir as duas terapias, que são distintas tanto pelo sua concepção teórica como pelas suas aplicações práticas. Deve-se ter em conta unicamente que as duas terapias são compatíveis e complementares.

OLIGOTERAPIA E ACUPUNTURA

Ciência milenar que tem mais de um traço em comum com a oligoterapia. A acupuntura foi a primeiras das práticas médicas que se dispôs a tratar o doente e não a doença determinada.
Foi a primeira que também procurou, graças à aplicação das agulhas, modificar o terreno particular da doença.

OLIGOTERAPIA E FISIOTERAPIA

Tão importante como efetuar boas manipulações vertebrais, ou mais genericamente, articulares, é se melhorar o estado geral do paciente a fim de evitar recidivas. É certo que ginásticas bem orientadas, reeducações funcionais são muito importantes. Mas, um sujeito fatigado ou apresentando quadros complexos, ficará sujeito a recidivas.Daí ser importante o tratamento com oligoelementos, que permitirá recuperar seu estado de saúde e consolidar os ligamentos.
Nem seria necessário dizer que não existe incompatibilidade entre as vacinas e os oligoelementos. Pelo contrário, a associação entre eles só pode ser benéfica, sejam elas puramente preventivas ou com efeitos terapêuticos: sendo o reforço do terreno já uma forma de prevenção, obteremos uma melhora da defesa orgânica contra as infecções. Os oligoelementos não substituem as vacinas, mas agem em sinergia com elas.
extraido site nutricience.com

Atendimento Presencial ou On line

(11) 99141-4488 - adri820@gmail.com

Andropausa e a Oligoterapia

Os 5 Elementos (MTC) e os Oligoelementos

A falta ou excesso de minerais podem desencadear desequilibrio no organismo.

Fale conosco

Siga-nos

Saiba mais

Rua 15 de Setemb ro, 96 - Saude - CEP 04053-070 - São Paulo

tel.: (11) 2275-9072 - 99141-4488

  • w-facebook
  • w-googleplus
  • w-linkedin
  • Twitter Clean

© 2023 por Cuidado do Corpo. Orgulhosamente criado com Wix.com